O propósito na Comunicação contemporânea



Em razão das transformações tecnológicas, estruturais e geracionais pelas quais a sociedade passou nas últimas décadas, a forma de se relacionar foi alterada por completo. Essas mudanças impulsionaram o deslocamento da comunicação pautada na unilateralidade (emissor → receptor) para a bilateral (emissor ⟷ receptor), obrigando as organizações a adotarem posicionamento mais ativo e dinâmico frente aos seus públicos e às questões da sociedade, assim, afirmando sua posição no mercado e suprindo a demanda por interlocução do mundo moderno.

É neste cenário em que os conceitos de propósito, missão, visão e valores ganharam novas proporções, principalmente no mundo organizacional.


Para ampliarmos a compreensão sobre esse tema, e até mesmo de uma parcela da conjuntura global contemporânea, será feito um aprofundamento em cada um dos quatro conceitos citados no parágrafo anterior. Podemos entender a Visão como sendo a que a organização veio ao mundo ou o que faz no mercado, ou seja, a visão de uma varejista pode ser desde ofertar produtos à baixo custo à comercializar itens de maior valor agregado por e-commerce. Para exemplificar melhor, encontramos no site do Grupo Pão de Açúcar (GPA) a seguinte descrição de sua visão, “Garantir a melhor experiência de compra para todos os nossos clientes, em cada uma de nossas lojas”.


Os Valores devem ser entendidos como os preceitos que pautam o funcionamento da organização em seu dia-a-dia, processos e o caminho até os objetivos. Para exemplificar, a Riachuelo tem como seus valores “Ética e Respeito; Solidez Financeira; Austeridade Administrativa; Meritocracia; Aperfeiçoamento Constante; Responsabilidade Social; Servir ao Cliente; Governança Corporativa; Atitude Vendedora”.


Já a missão seria qual a posição ou atuação que a companhia busca exercer no mercado agora ou futuramente. Segundo o GPA, sua missão é, “O Grupo Pão de Açúcar almeja ampliar a participação no mercado brasileiro de varejo e tornar-se a empresa mais admirada por sua rentabilidade, inovação, eficiência, responsabilidade social e contribuição para o desenvolvimento do Brasil.”


Para finalizar, o propósito. Este é um conceito mais amplo que abrange todos os que foram antes citados. Isso porque ele pode ser considerado como a própria organização, o seu DNA. É no momento em que o fundador cria a empresa que ele está contido, como um ideal. Quando uma organização em tempos de recessão não abandona seus projetos sociais, entendemos que esse tipo de ação faz parte de seu propósito, pois independente do momento econômico pelo qual a sociedade está passando ela continua realizando, já que isso faz parte do seu jeito de ser e atuar no mercado.


A compreensão desse tema é de grande importância tanto para as organizações como para os indivíduos. São demandas que a sociedade passou a cobrar e que se não atendidas, futuramente, inibiram que uma série de agentes possam atuar no mercado pelo fato de não atenderem às novas exigências culturais e comunicacionais.


- Por Mikael Paixão, Relações Públicas na GMI

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo