Saúde mental desafia a gestão das empresas

Transportadoras adotam medidas para garantir a estabilidade emocional


Fonte: Divulgação


A saúde mental e a saúde física são fundamentais para um bom desempenho nas atividades diárias, porém ainda recebem pouca atenção, principalmente no universo corporativo. De acordo com um estudo publicado pela Capita, 79% dos colaboradores ouvidos relataram ter sofrido estresse no ambiente de trabalho nos últimos 12 meses, e 47% acreditam que sentir estresse e ansiedade durante o trabalho é normal.


Principalmente por conta da pandemia de covid-19, essa pauta foi levantada e ganhou mais visibilidade, sobretudo nas redes sociais. Muitas empresas vêm percebendo a necessidade de trabalhar a saúde mental de seus funcionários, de modo que 67% das empresas já oferecem programas de assistência de acordo com a pesquisa realizada pela Wellable.


Porém, alguns setores ainda caminham devagar na elaboração dessas medidas. Gislaine Zorzin, diretora administrativa e de novos negócios na Zorzin Logística, aponta que no setor de transporte rodoviário de cargas (TRC) o tema é pouco discutido. Alguns desafios ainda são enfrentados pelas companhias, como relata a empresária: “O maior desafio que vejo é a questão de a empresa se colocar como um suporte e o colaborador entender que pode se apoiar na organização quando tiver algum problema. Precisamos desenvolver essa segurança nas pessoas, para que assim venham dividir algum problema conosco”, fala.


Como uma forma de assistir seus colaboradores, a Zorzin Logística vem adotando algumas práticas, como a inclusão no programa de treinamento de algumas palestras abordando a importância de seguir uma alimentação saudável e de praticar exercícios físicos. “É importante que os colaboradores tenham suporte psicológico e sintam estabilidade e acolhimento no local de trabalho”, ressalta Zorzin.


A preocupação com o emocional dos funcionários fez com que líderes e gestores começassem a buscar soluções para os problemas enfrentados no cotidiano de trabalho. Para isso, é necessário quebrar paradigmas de que a saúde mental é única e exclusivamente responsabilidade de um só indivíduo. Não só as organizações, mas a sociedade como um todo desempenham papéis fundamentais na estabilidade emocional de cada um.


A aceleração constante é uma característica marcante desta nova geração. A sociedade está em movimento a todo momento, e as pessoas tendem a trabalhar mais e a descansar menos. Porém, no TRC esta tendência deve ser evitada ao máximo principalmente por motivos de segurança. “Na transportadora, acreditamos que o controle de jornada tem impacto direto na saúde mental do colaborador. Por isso, levamos muito a sério paradas para descanso e descanso intrajornada, o que possibilita que o motorista viaje descansado e sem a pressão do sentimento de urgência”, acrescenta Gislaine.


Essas discussões têm ganhado gradativamente mais espaço no ambiente corporativo, o que é um ponto positivo tanto para as empresas quanto para os colaboradores. A tendência é que as empresas continuem investindo em programas que frisem a importância da saúde mental, principalmente no trabalho.




1 visualização0 comentário